Blog do Interband 2009 se encerra

Por Alexandre Le Voci Sayad, Caio Dib e Magiu Pinheiro

Este ano, o Blog do InterBand contou com 62 reportagem e mais de 3800 acessos. Depois de 26 dias de cobertura, muitas horas de dedicação e várias histórias pra contar, o Blog de 2009 se encerra.

PerticipantesCom uma equipe grande e empenhada, o Blog chegou numa qualidade exemplar. Ramificação do projeto Idade Mídia e criação conjunta com os Departamentos Cultural, de Esportivo e de Tecnologia do Colégio Bandeirantes, evolui a cada ano, aprendendo edição a edição.

Além de escreverem matérias sobre os jogos e bastidores, o que acrescentou conhecimento jornalístico aos participantes, o Blog propiciou uma experiência do cotidiano de trabalho aos alunos. Os repórteres trabalharam em equipe e precisaram cumprir prazos e responsabilidades. Ademais, aprenderam a fazer entrevistas e a apurar com qualidade, melhorando suas matérias.

Com isto, acreditamos que os alunos-repórteres estão capacitados a dar continuidade ao trabalho do Blog e a criar novos projetos com qualidade igual ou superior à do Blog do InterBand 2009. Coordenação e edição estarão sempre disponíveis a auxiliar a criação destes novos produtos.

Confira o Quadro de medalhas e a Classificação geral

Confira o Quadro de medalhas e a Classificação geral do InterBand 2009. O Bandeirantes ficou em primeiro lugar, com 23 medalhas (11 de ouro, 8 de prata e 4 de bronze), seguido pelo Pinheiro, com 9 medalhas (4 de ouro, 2 de prata e 3 de bronze) e do Arquidiocesano, com 7 medalhas (3   de ouro, 2 de prata e 2 de bonze).

Ps.: Os arquivos estão no formato PDF e a classificação do Xadrez ainda não está incluida na Classificação geral.

O amor nas quadras e fora delas

Por Sofia Hanashiro

Gabriella Morelli e Tobias Biselli, alunos do segundo colegial do

Tobias Biselli e Gabriella Morelli

Tobias Biselli e Gabriella Morelli

 Bandeirantes, são um dos casais do InterBand 2009. Gabriella, 16, joga vôlei na categoria Infantil, e Tobias, 17, basquete na categoria Juvenil. Nesse campeonato, todos os jogos nos quais o casal participou, ganhou.

O amor pelo Vôlei começou quando Gabriella tinha 10 anos. Já Tobias, é apaixonado por basquete há 7 anos.

O casal está junto há seis meses e, sempre que possível, assistem aos jogos um do outro. Pode-se ver que o amor dos jogadores está presente não só fora das quadras, como dentro, pelo esporte.

Time Juvenil do Band vence o último InterBand da equipe

Por Carol Lima

Quinta-feira (10/09), aconteceu a final de voleibol Juvenil feminino entre os times Bandeirantes e Spinosa. Apesar de ambos mostrarem grande habilidade e ótimo desempenho, as garotas do Band levaram a medalha de ouro, por 2 sets a 0.

Bandeirantes X SpinosaAlgumas horas antes do jogo, Fabiane Kobayashi, uma das integrantes do time vencedor, admitiu que os times eram muito bons e que a partida deveria ser acirrada. Apesar da declaração da garota ter demonstrado nervosismo, ela e sua equipe estavam visivelmente descontraídas. Isto facilitou a vitória do primeiro set por 21 a 9.

Já o segundo set gerou um clima bem maior de tensão, tanto no Spinosa quanto no Bandeirantes. Cortes mais fortes e saques melhor direcionados realizados pelas atletas do Spinosa fizeram a descontração da equipe bandeirantina desaparecer no começo do set. Mas, apesar do empenho do Spinosa, o segundo set foi finalizado em 21 a 16 para o Bandeirantes.

BandeirantesA comemoração da equipe campeã foi emocionante. Ao ganhar o jogo, o time, ainda em quadra, reuniu-se numa roda com a técnica e lá foram feitos alguns pequenos discursos. Afinal, para a maioria delas, aquele era o último ano no colégio e no time de Voleibol. A jogadora Laís, que cursa o terceiro ano do Ensino Médio, se emocionou com o discurso da técnica e falou algumas palavras para sua equipe, mostrando o carinho enorme e a falta que sentiria de cada companheira.

Ao terminarem de conversar, as medalhistas do Bandeirantes se abraçaram, celebraram e sorriram, rumo à cerimônia de premiação, tristes com a despedida, mas orgulhosas pela vitória.

Dedicação total: por trás da cobertura

Por Júlia Griebel, especial para o Blog do InterBand
Antes mesmo do início do campeonato, o Blog já tinha sua equipe formada. Porém Priscila Garcia não pode comparecer durante vários dias porque contraiu o vírus H1N1

Antes mesmo do início do campeonato, o Blog já tinha sua equipe formada. Porém Priscila Garcia não pode comparecer durante vários dias porque contraiu o vírus H1N1

Ao longo da conversa com o pessoal do Blog, pude descobrir algumas histórias pelas quais os repórteres, alunos do 2º ano do Ensino Médio do Colégio Bandeirantes, passaram durante as coberturas dos jogos do InterBand.

 O fato de o campeonato ter sido adiado aumentou o trabalho dos repórteres em conciliar estudos e reportagens. Manhãs de sábado e domingo no colégio e até mesmo noites escrevendo tornaram-se comuns. “Com todas as listas e lições a serem feitas, ainda ter que entregar uma matéria para os editores uma ou duas horas após a cobertura… Nossa, que pressão!” contou Anna Gabriela. Ela afirmou ficar com vontade de cursar faculdade de Jornalismo após a experiência.

Outras duas repórteres, Sophia e Mariana, também têm histórias para contar. Um dia, após cobrirem um jogo no período da noite, reuniram-se para escrever a matéria. Isso tomou tanto tempo da dupla que foi necessário um bedel expulsar as meninas da escola, pois já eram 22h30min, e os portões do Bandeirantes tinham que ser fechados.

Mariana Pereira e Carol Arcas

Mariana Pereira e Carol Arcas

Outro caso que mostra a dedicação dos nossos aspirantes à jornalista é o do Marcus Vinícius.  Ele assumiu ter dormido sobre o teclado do computador enquanto escrevia, juntamente com a Mariana Pereira, uma matéria. Isso é que é empenho hein?

Apesar da correria e “Mesmo com toda a pressão…”, como desabafou Anna Gabriela, os nossos alunos afirmam ter apreciado a experiência, e mesmo o jornalismo não sendo a escolha profissional de todos, dizem que “Valeu muito à pena!”.

***Repórteres entrevistados:  Mariana Pereira, Sophia Torres, Marcus Vinícius Schimith, Pri Garcia, Anna Gabriela Oliveira, Beatriz Lima e Isabela Tarccolini.

InterBand também se destaca pelas tendências de moda

Por Carol Lima e Mariana Pereira

O InterBand desse ano merece destaque especial para as tendências de moda presentes no campeonato. Com uma lista de novidades fashion no mundo esportivo jovem, que varia de chuteiras coloridas a uniformes extravagantes, o torneio chamou atenção não só dos fanáticos por esporte, mas também daqueles ligados em moda.

Os alunos usam a criatividade para criarem os uniformes de seus times

Os uniformes também foram criativos no campeonato interno promovido pelo Bandeirantes.

O maior destaque foi a variedade de cores existentes em todas as categorias que competiam. O time Mirim de Handebol da Móbile, por exemplo, atraiu olhares curiosos com seu uniforme roxo e branco, que fugia dos uniformes vermelhos, azuis ou brancos das outras equipes.

Outra tendência foi a de chuteiras coloridas. As garotas dos times da Móbile e do Santa Cruz se destacavam com chuteiras vermelhas e verdes fluorescentes na final do Futsal Pré-mirim.

A escolha de cores de cadarços também foi um verdadeiro hit dos times Infantis de vôlei. As garotas, em meio a bloqueios e saques, mostravam tênis decorados com cadarços rosas, verdes e laranjas.

Percebe-se, portanto, que o InterBand 2009 não foi somente um local onde eram marcados gols, pontos e cestas. O Bandeirantes tornou-se durante essas semanas uma verdadeira passarela na qual jogadores e jogadoras mostraram sua criatividade e seu modo único de se vestir.

Veja também a matéria Vitória rosa choque, no Blog do InterBand de 2008.

Santi vence Infantil masculino

Por Carol Lima e Joaquim Eugênio

A quinta-feira de InterBand (10/09) teve início, às 18h, com uma final de voleibol masculino da categoria Infantil. Com 3 sets cheios de tensão, Santi (antiga Escola Santo Inácio) e Pioneiro deixaram a torcida animadíssima. No final, a Santi levou a medalha de ouro para casa.

Orlando e o time Pré-Mirim feminino. A Santi foi favorita em várias categorias do vôlei

Orlando e o time Pré-Mirim feminino. A Santi foi favorita em várias categorias do vôlei

No primeiro set, a Santi ganhou por 21 a 14. A torcida da escola marcou presença, incentivando a equipe. Já o segundo set contou com uma reação do time adversário. Os garotos do pioneiro vibraram a cada ponto e empataram o placar de sets, vencendo com uma pontuação de 21 a 18.

O set decisivo, o tie break, que iria tecnicamente até 15 pontos (mas poderia chegar a 21) confirmou a técnica de ambos os times, que tornaram os últimos minutos surpreendentes. O placar, que oscilava de momento a momento, chegou a 16 a 16, mas a Santi acabou vencendo por 18×16.

Além de uma torcida marcante e incentivadora, a Santi contou com o técnico Orlando Gabrielli Jr., que atua há 31 anos na escola. Carismático, foi descrito como “uma lenda” por um professor presente na quadra. Apesar de jogar futebol, Gabrielli admitiu sua paixão pelo vôlei. “Vitória é gostoso, mas ela tem que ser conseqüência de trabalho, tem de ser por causa do trabalho, e não por fazer alguma coisa errada”, finalizou, muito satisfeito com a vitória.

Bedel bom de bola

Por Sophia Torres

O inspetor Antônio Marques é a melhor fonte para quem tiver alguma dúvida sobre o Interband: viu todos os jogos que aconteceram no ginásio. Em comparação com as partidas de voleibol, a que assistiu na quadra II durante a edição do ano passado, ele preferiu as disputas de basquete e futsal. Além de gostar mais dessas modalidades, ele afirma que os jogos de futsal são mais animados, atraindo mais gente e criando movimento.

Como destaques do campeonato, aponta a despedida da seleção de basquete masculino infantil, o “Dream Team” da casa, e uma partida de futsal feminino Pré-mirim na qual, em busca de um empurrãozinho do além para ajudar a decidir os pênaltis, a goleira de um dos times ajoelhou na quadra e se pôs a rezar. “Achei engraçado, muito legal”, diz sobre o episódio, principalmente porque a iniciativa deu certo.

Outro ponto alto do Interband, em sua opinião, é a oportunidade de conhecer pessoas novas. Os sempre animados pais, por exemplo, que apóiam muito seus pequenos atletas chegando até a discutir com os juízes, ou o técnico Mario Basso, da escola Móbile, amigo de campeonatos passados, com o qual sempre disputa para ver o colégio de quem ganha mais medalhas.

Rei do pop e das quadras

Por Mariana Pereira e Sophia Torres

Na última quinta-feira, 3, pelo que tudo indica, os organizadores do InterBand fizeram sua própria homenagem para Michael Jackson.

 

Para tornar o momento mais especial, durante todas as premiações as medalhas são entregues ao som de um trilha sonora montada pelos professores do departamento de esportes. Na segunda premiação da noite, houve o repeteco do rei do pop. Primeiro com “I want you back” seguida de “Billie Jean”. Depois de todas coreografias feitas e letras cantadas, as repórteres, ao assistirem à terceira premiação do dia, deram-se conta da homenagem que estava sendo feita naquela dia no InterBand: Era a noite Michael Jackson.

 

Após as luzes serem apagadas por conta de tempestades, jogos serem ora atrasados, ora adiantados e emoção a flor da pele, nada melhor que o rei do pop para sintetizar tudo de exorbitante que teve naquela noite. O InterBand também é cultura!

Magrão, do Internacional, esteve no InterBand

Por Cláudia Cris, especial para o Blog do InterBand

Magão e seus filhos no InterBandO jogador Magrão (Márcio Rodrigues), atualmente no Internacional de Porto Alegre, esteve no InterBand acompanhando a partida de Basquetebol de seu filho, Matheus, aluno da Escola Villare.

“Como o esporte é muito importante na educação de uma criança, incentivo meu filho a se exercitar”, contou o volante.

Falou ainda que, se não fosse o Futebol, não teria as oporunidades que teve na vida. “Tudo que consegui até hoje foi em decorrência de me destacar como jogador profissional”, finalizou.