Humbolt ganha ouro no InterBand

Por Caio Dib

IMG_8347Neste Domingo, o colégio Humbolt venceu o Vértice por 2 sets a 0 no voleibol juvenil feminino. As parciais foram 21×11 e 21×12. Com a vitória, a equipe levou o ouro do InterBand.

No início do primeiro set, o Vértice fez uma série de pontos, muitos por erros dos adversários. Entretanto, as jogadoras do Humbolt começaram a acertar defesas e ataques e mudaram a cara da partida.

Mesmo com um jogo com vários erros de ambos os lados, os técnicos estavam calmos. “Minha equipe não treina regularmente. As meninas estudam todos os dias até as 19h”, explicou Marco Botteon, técnico do Vértice. A jogadora número 11, Natalia Orfali, disse que há treino uma vez por semana, mas que a maioria das jogadoras não pode comparecer. O técnico do Vértice complementou: “antigamente eu era um técnico do estilo ‘Bernardinho’, mas não posso exigir delas se não conseguimos fazer treinamentos”.

Confira algumas fotos do jogo:

Pré-mirim do Mazzarello é campeão no Voleibol

Por Isabella Alchorne

9Na final do voleibol pré-mirim masculino, o Colégio Mazzarello venceu o Colégio Bandeirantes por 2 sets a 0. As parciais foram 21×19 e 21×14. Os meninos do Mazza, ao final do jogo, estavam tão animados que deram peixinho e várias voltas olímpicas ao redor da Quadra 2.

“O time já jogou o InterBand ano passado como pré-mirim, o que os trouxe maior experiência em algumas situações do jogo”, disse o técnico do Mazzarelo, Cláudio Lopes. Mesmo assim, o treinador não nega que o jogo foi disputado. E quando perguntamos sobre o clima de domingo, ele respondeu: “o sol atrapalha a todos, isso é um problema, porém nenhum sai prejudicado já que ambos os lados têm que enfrentá-lo.”

Confira a entrevista com o técnico, Luiz Domingos, do Bandeirantes:

Blog: O que você achou do jogo?

Luiz: O time do Mazzarello é um time já vem treinado há bastante tempo. Alguns meninos já são mais desenvolvidos, mais maduros para jogar voleibol. Nosso time é formado esse ano. Mas para mim, o jogo foi ótimo, apesar da pouca experiência que os atletas da minha equipe apresentam. Mesmo com a derrota, acredito que eles evoluíram bastante desde o início do ano e acredito que melhorarão ainda mais.

Blog: O que você acha que poderia ter ajudado o time? Pois a parcial do primeiro set foi de 21X19, ou seja, foi bastante apertado. O que o senhor acha sobre isso?

Luiz: A inexperiência gera o nervosismo. E isso trás insegurança, e, com isso, algumas ações do jogo se complicam. Saques, defesas em algumas situações, e fazer o ataque são mais difíceis com nervosismo. Esses são fatores que, para alguns inexperientes, afetam muito.

Blog: Para finalizar, faremos a mesma pergunta que fizemos para o técnico do time adversário: você acha que se não estivesse tanto sol, o time apresentaria um melhor desenvolvimento?

Luiz: Um sol na cara atrapalha um pouquinho. Mas como treinam nesse horário isso não foi um problema.

Dourado vence e leva bronze no vôlei

4Por Isabella Alchorne

A disputa de 3º lugar, na categoria juvenil masculino de vôlei, teve como vencedor o Colégio Dourado. O time ganhou de 2 sets a 0 contra o Colégio Pinheiro. As parciais foram 21×8 e 21×12.

“Faltaram vários jogadores, o que poderia ter feito o jogo ficar melhor”,  disse o Régis França, pai de Gustavo Henrique França, atleta do Pinheiro. A equipe estava desfalcada e sem atletas reservas. Isto impossibilitou que os atletas em quadra pudessem decansar.  já que havia a possibilidade de revezamento para descansar.

O técnico do Colégio Pinheiro Luiz Alberto dos Santos, por sua vez, complementa dizendo: “a categoria é juvenil, porém jogamos todo o torneio com 3 meninos do mirim (Gustavo, Matheus e Pablo)”.

Band leva o bronze no juvenil feminino de Vôlei

Por Isabella Alchorne

7

O Colégio Spinoza mostrou seu jogo, mas o Band levou a medalha de 3º colocado da categoria voleibol juvenil feminino. O resultado final foi de 2 sets a 0, com as parciais de 22×20 e 21×8.

“Tira saque!”, “Vamos time!” eram os gritos que mais se ouviam das atletas. As meninas de ambos os lados incentivaram muito os seus times, uma demonstração de sentimento de equipe.

Band leva o bronze do pré-mirim de futsal

Por Anna Gabriel Oliveira

bgBandeirantes e Nossa Senhora das Graças se enfrentaram neste domingo na disputa pelo 3º lugar do futsal na categoria pré-mirim masculino. O Band venceu por 7×4, num jogo com ambos os times atacando bastante e também com várias faltas.

O Band começou o jogo atacando muito. O time marcou o primeiro gol aos 50 segundos de partida e, logo em seguida, colocou uma mais uma bola na rede adversária. O Gracinha, no entanto, não desanimou e empatou o placar. Apesar do equilíbrio do jogo, o Band continuou a atacar insistentemente, mantendo a maior posse de bola. Após o intervalo, o Gracinha voltou com mais vontade, chutando muito mais ao gol. Mas isso não impediu o Band de marcar mais quatro vezes.

“Os jogadores do Gracinha eram fortes e muito agressivos”, comentou o camisa 18 do Band, Lucas Suzuki, 11 anos, contou que joga desde pequeno. Mesmo assim, Suzuki achou que a partida foi boa. Já o técnico Dutra, também do Band, considerou o jogo disputado, mas que a atuação de seu time lhe agradou.

Jogadores do Band comemoram vitória fazendo “peixinho” da seleção

Por Isabella Alchorne

O Colégio Bandeirantes venceu a final, no vôlei juvenil masculino, por 2 sets a 0, contra o time do Colégio Magno. As parciais: 22×20 e 21×9.

3

O primeiro set foi bastante disputado. O Magno chegou até a virar o jogo, porém não foi o suficiente para vencer o set. Já o segundo foi mais tranquilo. A equipe estava muito unida e, também por isso, fez com que o jogo se tornasse mais fácil. Os atletas do Band conseguiram dar várias cortadas e transformar vários saques em pontos.

No fim do jogo, os jogadores copiaram o estilo de comemoração da seleção brasileira de voleibol: deram o clássico peixinho em direção à tocida.

Arqui vence Band e leva bronze

Por Amanda Cestaro e Naomy Stankevicius

Hoje aconteceu a disputa pelo terceiro lugar da categoria mirim de handebol feminino entre Arqui e Band. O jogo terminou com o placar de 19×9 para o Arqui. As jogadoras, tanto do time adversário quanto o da casa, saíram com sorriso no rosto e fazendo brincadeiras entre si.

Carolina Chung e Thalita Deak

Carolina Chung e Thalita Deak

O clima descontraído se deve justamente a amizade entre as meninas que participaram. As jogadoras Carolina Chung, do Bandeirantes, e Thalita Deak, do Arquidiocesano, disseram estar ansiosas para competirem, já que jogavam juntas no mesmo time pelo Arqui antes de Carolina transferir-se para o Band. “É um campeonato bem legal. Essa é uma boa oportunidade para a confraternização entre os colégios.”, disse Carolina, a respeito do InterBand.

A técnica do Arqui, Renata Ferreira, satisfeita com o título, definiu suas jogadoras como determinadas e afirmou já esperar pelo resultado. “As meninas, treinam juntas há seis anos e estavam bem preparadas, confio no meu time”, disse. E quando questionada a respeito dos seus próximos planos, reponde: “O Nosso objetivo é ganhar a Oliarqui (campeonato semelhante ao InterBand do colégio) e a Liga de Handebol”.

Villare ganha bronze no Mirim

Por Bárbara Ribeiro

A disputa pelo terceiro lugar de handebol mirim masculino entre os colégios Vilare e Móbile começou muito equilibrada e teve altos e baixos. No fim, os jogadores do Villare conquistaram o bronze, com uma vitória de 21×13.

O colégio Villare jogou com uma estratégia de bola muito rápida, já o Móbile, apelou para uma bola muito bem trabalhada, mas com lançamentos fracos.

O goleiro Nicholas Smaal, Móbile, deu um susto logo de início, após defender uma bola muito forte, acabou se chocando com um adversário e se machucando. O técnico, ao ajudar o goleiro, o incentivou a continuar, mas Nicholas alega que a sua motivação maior foi outra: ”O Villare é famoso por ter bolas boas, fortes e no canto. O meu time precisava que eu voltasse, além disso, tinha que defender pela garota que eu amo, a Larissa. Queria ser motivo de orgulho”, confessou. Mesmo com a motivação de Smaal e boas defesas, o time perdeu de 21x 13.

A técnica do Villare, Vanessa Marceli, declara que faltou pouco para concorrerem ao ouro: “Treinamos de segunda e quarta, todos juntos, sempre, e as quadras e o ar seco atrapalhou muito os jogadores. Mas mesmo assim, a maioria deles tem uma base muita boa, já jogavam no pré-mirim, e a experiência ajudou muito, foi assim que chegamos até aqui”, contou.

Arqui vence Gracinha no Hand pré-mirim

Por Anna Gabriela Oliveira e Isabela Sarno Taccolini

goleiroDuas tradicionais equipes se enfrentaram nesta sexta-feira no handebol. Arqui e Gracinha, com seus jogadores da categoria pré-mirim, mostraram seus talentos em jogo bem disputado que acabou com a vitória do Arqui por 15×11.

O jogo começou rápido e disputado. Enquanto o Gracinha não fez tantas jogadas em equipe, confiando que um contra-ataque rápido seria mais eficiente, o Arqui, por apostar mais em passes entre seus jogadores, conseguiu furar a defesa do oponente com muito mais facilidade, fazendo com que o primeiro tempo terminasse 9×3.

O intervalo foi momento de concentração, com os jogadores do Gracinha silenciosos e introspectivos. O segundo tempo iniciou-se com um gol do Graças, mas o Arqui revidou com garra, fazendo três gols seguidos e, após alguns minutos, mais três em série. O Graças conseguiu, então, quando o jogo se aproximava do seu décimo minuto, seu quinto gol, que foi seguido por um do adversário e mais dois do Graça

Um dos grandes destaques da partida foi o goleiro do Arqui, Lourenze Mariane, de 12 anos. Ele mostrou talento, apesar de só ter começado a jogar nesse ano. afirmou achar o nível de dificuldade do jogo razoável. “Houve outros mais difíceis” disse. Essa foi a terceira partida que o Arqui jogou no InterBand esse ano. De acordo com Mariane, comparada a contra o Vera Cruz e contra o Magno, foi a partida mais fácil.

Diário de uma campeã: destaque da equipe de hand escreve para o Blog

Por Elis Jazzar

441Elis Jazzar está no primeiro ano do ensino médio do colégio Bandeirantes e foi o destaque de sua equipe na final de handebol infantil feminino. O Band venceu o Pinheiro por 12×7, em um jogo disputado. As atletas do Band jogaram com garra, principalmente após lerem uma carta que uma ex-atleta (que se formou no colégio) enviou para motivá-las no jogo da final. Confira a carta clicando aqui. E veja o que a destaque da equipe vencedora tem a dizer sobre a partida:

A gente ganhou o campeonato do Lourenço Castanho semestre passado. Depois dessas férias, várias meninas que foram muito importantes pras nossas vitórias saíram do time, desistiram de jogar na equipe. No inicio do ano eram 14 meninas e só sobraram 8.

Mas a nossa vontade de ganhar, e principalmente o InterBand, era maior que tuuuudo. A gente pediu ajuda pra equipe mirim. A Carolina Chung agora está treinando em dobro só pra termos uma ponta esquerda! A gente queria muito dar o tetra pra Camila, nossa técnica (e ganhar é claro).

Essa final foi suuuper equilibrada com dois ótimos times em quadra. Nós chegamos a conclusão de que o vencedor do jogo seria o time que errasse menos! Mas eu acho que duas coisas foram muito importantes pra nossa vitoria: a vontade de ganhar e a nossa recuperação a cada gol que a gente tomava.

Não abaixamos a cabeça em nenhum momento e isso é fundamental em qualquer esporte. Tendo feito gol ou não nesse ultimo jogo, o time todo ganhou e é campeão. Todas nós fizemos parte dessa vitória que a gente nunca vai esquecer!