Esporte e estudos?

Por Alessandra Ungria

DSC07987No primeiro jogo de basquete infantil masculino do InterBand, o time do colégio Arquidiocesano se destacou não apenas por sua vitória, mas principalmente pelo alto número de pontos feitos por seus jogadores: 42 contra 17 do oponente Pentágono. Grande parte das cestas vem das mãos do número 8 do Arqui, que teve destaque durante o jogo.

Bruno Menon, de 15 anos, joga basquete desde criança. Iniciou-se no esporte como atleta dentro do colégio marista, em 2006, e a partir daí não parou mais. Em 2007 entrou para o time do clube Círculo Militar e logo se tornou atleta federado. Chega a treinar até 8 horas por semana, sendo metade delas feita no clube e a outra na escola.

Seus pais estavam na lateral da quadra torcendo pelo time do Arqui. Rosana Menon, mão de jogador, não perde um jogo. “Tem muito pai que vem assistir, porque o Arqui valoriza muito o esporte”, conta. Ela vê a participação de Bruno como mais uma demonstração de que esportes, estudos e dedicação podem caminhar juntos.