Arqui vence Band e leva bronze

Por Amanda Cestaro e Naomy Stankevicius

Hoje aconteceu a disputa pelo terceiro lugar da categoria mirim de handebol feminino entre Arqui e Band. O jogo terminou com o placar de 19×9 para o Arqui. As jogadoras, tanto do time adversário quanto o da casa, saíram com sorriso no rosto e fazendo brincadeiras entre si.

Carolina Chung e Thalita Deak

Carolina Chung e Thalita Deak

O clima descontraído se deve justamente a amizade entre as meninas que participaram. As jogadoras Carolina Chung, do Bandeirantes, e Thalita Deak, do Arquidiocesano, disseram estar ansiosas para competirem, já que jogavam juntas no mesmo time pelo Arqui antes de Carolina transferir-se para o Band. “É um campeonato bem legal. Essa é uma boa oportunidade para a confraternização entre os colégios.”, disse Carolina, a respeito do InterBand.

A técnica do Arqui, Renata Ferreira, satisfeita com o título, definiu suas jogadoras como determinadas e afirmou já esperar pelo resultado. “As meninas, treinam juntas há seis anos e estavam bem preparadas, confio no meu time”, disse. E quando questionada a respeito dos seus próximos planos, reponde: “O Nosso objetivo é ganhar a Oliarqui (campeonato semelhante ao InterBand do colégio) e a Liga de Handebol”.

Villare ganha bronze no Mirim

Por Bárbara Ribeiro

A disputa pelo terceiro lugar de handebol mirim masculino entre os colégios Vilare e Móbile começou muito equilibrada e teve altos e baixos. No fim, os jogadores do Villare conquistaram o bronze, com uma vitória de 21×13.

O colégio Villare jogou com uma estratégia de bola muito rápida, já o Móbile, apelou para uma bola muito bem trabalhada, mas com lançamentos fracos.

O goleiro Nicholas Smaal, Móbile, deu um susto logo de início, após defender uma bola muito forte, acabou se chocando com um adversário e se machucando. O técnico, ao ajudar o goleiro, o incentivou a continuar, mas Nicholas alega que a sua motivação maior foi outra: ”O Villare é famoso por ter bolas boas, fortes e no canto. O meu time precisava que eu voltasse, além disso, tinha que defender pela garota que eu amo, a Larissa. Queria ser motivo de orgulho”, confessou. Mesmo com a motivação de Smaal e boas defesas, o time perdeu de 21x 13.

A técnica do Villare, Vanessa Marceli, declara que faltou pouco para concorrerem ao ouro: “Treinamos de segunda e quarta, todos juntos, sempre, e as quadras e o ar seco atrapalhou muito os jogadores. Mas mesmo assim, a maioria deles tem uma base muita boa, já jogavam no pré-mirim, e a experiência ajudou muito, foi assim que chegamos até aqui”, contou.

Arqui vence Gracinha no Hand pré-mirim

Por Anna Gabriela Oliveira e Isabela Sarno Taccolini

goleiroDuas tradicionais equipes se enfrentaram nesta sexta-feira no handebol. Arqui e Gracinha, com seus jogadores da categoria pré-mirim, mostraram seus talentos em jogo bem disputado que acabou com a vitória do Arqui por 15×11.

O jogo começou rápido e disputado. Enquanto o Gracinha não fez tantas jogadas em equipe, confiando que um contra-ataque rápido seria mais eficiente, o Arqui, por apostar mais em passes entre seus jogadores, conseguiu furar a defesa do oponente com muito mais facilidade, fazendo com que o primeiro tempo terminasse 9×3.

O intervalo foi momento de concentração, com os jogadores do Gracinha silenciosos e introspectivos. O segundo tempo iniciou-se com um gol do Graças, mas o Arqui revidou com garra, fazendo três gols seguidos e, após alguns minutos, mais três em série. O Graças conseguiu, então, quando o jogo se aproximava do seu décimo minuto, seu quinto gol, que foi seguido por um do adversário e mais dois do Graça

Um dos grandes destaques da partida foi o goleiro do Arqui, Lourenze Mariane, de 12 anos. Ele mostrou talento, apesar de só ter começado a jogar nesse ano. afirmou achar o nível de dificuldade do jogo razoável. “Houve outros mais difíceis” disse. Essa foi a terceira partida que o Arqui jogou no InterBand esse ano. De acordo com Mariane, comparada a contra o Vera Cruz e contra o Magno, foi a partida mais fácil.

Diário de uma campeã: destaque da equipe de hand escreve para o Blog

Por Elis Jazzar

441Elis Jazzar está no primeiro ano do ensino médio do colégio Bandeirantes e foi o destaque de sua equipe na final de handebol infantil feminino. O Band venceu o Pinheiro por 12×7, em um jogo disputado. As atletas do Band jogaram com garra, principalmente após lerem uma carta que uma ex-atleta (que se formou no colégio) enviou para motivá-las no jogo da final. Confira a carta clicando aqui. E veja o que a destaque da equipe vencedora tem a dizer sobre a partida:

A gente ganhou o campeonato do Lourenço Castanho semestre passado. Depois dessas férias, várias meninas que foram muito importantes pras nossas vitórias saíram do time, desistiram de jogar na equipe. No inicio do ano eram 14 meninas e só sobraram 8.

Mas a nossa vontade de ganhar, e principalmente o InterBand, era maior que tuuuudo. A gente pediu ajuda pra equipe mirim. A Carolina Chung agora está treinando em dobro só pra termos uma ponta esquerda! A gente queria muito dar o tetra pra Camila, nossa técnica (e ganhar é claro).

Essa final foi suuuper equilibrada com dois ótimos times em quadra. Nós chegamos a conclusão de que o vencedor do jogo seria o time que errasse menos! Mas eu acho que duas coisas foram muito importantes pra nossa vitoria: a vontade de ganhar e a nossa recuperação a cada gol que a gente tomava.

Não abaixamos a cabeça em nenhum momento e isso é fundamental em qualquer esporte. Tendo feito gol ou não nesse ultimo jogo, o time todo ganhou e é campeão. Todas nós fizemos parte dessa vitória que a gente nunca vai esquecer!


Pinheiro leva bronze no handebol infantil masculino

Por Caio Dib

Caio Yudi está no primeiro ano do ensino médio e joga desde a terceira sérieHoje o colégio Pinheiro venceu o Bandeirantes no handebol infantil masculino. O jogo disputado acabou com o placar de 12×10 e rendeu o terceiro lugar ao Pinheiro.

“O time teve boa performance e ouviu minhas orientações”, disse o auxiliar-técnico da equipe vencedora, Leonardo Andrade. No outro lado, o técnico do Band, Luiz Pereira, reclamou do atraso dos atletas ao comparecerem na partida, o que prejudicou o desenvolvimento do jogo.

Ambos os times receberam penalidades que prejudicaram o desempenho na disputa. Os técnicos afirmaram que os jogadores que receberam os famosos “dois minutos” (quando o atleta comete uma falta e deve ficar dois minutos fora da partida) fizeram com que as respectivas equipes perdessem muitas oportunidades. “As saídas temporárias dos atletas fizeram com que a equipe encontrasse dificuldade para virar a partida”, comentou Pereira.

Na equipe vencedora, o destaque foi o capitão, Caio Yudi. Goleiro de handebol há seis anos e único atleta federado da equipe, Yudi defendeu muitos ataques bandeirantinos. Mas reclamou: “faltou ataque da minha equipe”.

Superação

Por Caio Dib

As meninas do pré-mirim de handebol do colégio Bandeirantes nunca tinham ganhado um jogo. No InterBand, ganharam as três partidas que disputaram e, depois de uma difícil vitória contra a Escola da Vila, por 9×8, estão na final do campeonato. Confira as fotos e, em breve, o podcast com o técnico d Band, Freddy Liberato:

Show de imagens: Villare vence Magno no Hand

Por Caio Dib

Hoje, Villare venceu o colégio Magno por 17×10 pelo handebol mirim masculino. Confira as fotos!

Mesmo vencendo, handebol mirim do Band não vai para a final

Por Amanda Cestaro e Naomy Stankevicius

Mesmo vitoriosas, as jogadoras do time de handebol mirim do Band admitiram não se sentir completamente satisfeitas como resultado de 14×06 contra Colégio Rio Branco, na partida de hoje.

“Precisávamos de um saldo de 11 gols para que pudéssemos ir para a final, disputando o primeiro lugar”, informou a técnica Camila de Oliveira, decepcionada por não ter conseguido chegar à final.

O jogo contra o Arquidiocesano na batalha pelo terceiro lugar é, agora, o principal foco. Depois disso, o time partirá para o campeonato da Móbile, pelo qual a equipe se mostrou ansiosa. “Será a nossa primeira participação nesse torneio, então queremos aproveitar ao máximo o que aprendemos com os erros que cometidos no InterBand para obtermos uma melhor performance”, comentou a técnica.

Confira as fotos:

Band vence jogo disputado

Por Breno Silva

Interband dia 21 017O Band venceu nesse sábado o colégio Móbile no pré-mirim feminino de handebol por 4×3 em um jogo emocionante e indefinido até o fim da partida.

“Foi a 1ª vitória da carreira dessas atletas e ninguém sabe o que essas jogadoras passaram” conta Freddy Liberato,  técnico do Band.

Já para Ana Luiza Araújo e Désirée Brissac, do Móbile, “faltou apenas a vitória, já que as oportunidades apareceram”. As atletas acreditam que o placar refletiu a partida, uma vez que foi um jogo disputado.

Hand, volei e futsal agitam o Interband

Por Alessandra Ungria

Untitled-3

Handebol, voleibol e futsal foram os esportes da vez no Interband desta terça-feira (17/08). O placar “show de bola” dos meninos do futebol comprova isto: Pentágono 8 gols contra 2 do oponente Lourenço Castanho. Além deles, as meninas do infantil do Humboldt também mostraram serviço: 2 sets a 0 contra as alunas do Domus Sapientae no vôlei.

Entre os jogos, destaque para o confronto entre as meninas do hand mirim do Rio Branco contra as da Escola da Vila. O placar, que foi de 21×08 para a Escola da Vila, refletiu o talento de algumas jogadoras dentro de campo. Uma delas, que jogava com a camisa 28, já vem há 3 anos para o Interband. Aluna da Vila, Clarisse Suzuki, de 13 anos, elogia: “Já joguei várias vezes no Interband e eu gosto de vir aqui.”