Federado do Colégio Singular ganha ouro no Juvenil de Tênis de Mesa

Por Carolina Zuccas

1Ontem, no último dia de InterBand, o colégio Singular venceu o Bandeirantes no tênis de mesa juvenil por 3×0.

Para levar o ouro, empenho, dedicação e força de vontade foram elementos essenciais, tanto nos jogos quanto nos treinos. Vitor Seiji, 14 anos, integrante da equipe do colégio vencedor e destaque do campeonato, conta que começou a jogar realmente em 2005. “Antes eu já gostava de brincar um pouco com meu pai, que tentava me ensinar o esporte”, contou. Agora ele é federado, e treina todos os dias durante 3 horas, com exceção da segunda-feira, pois neste dia tem aula.

Com toda essa dedicação, já ganhou vários campeonatos. Foi campeão na Copa Brasil, vice Sul-Americano na categoria infantil individual.Vitor diz que quer se tornar um jogador profissional e participar da seleção brasileira, mas tem noção dos desafios que o esperam: “eu sei que é muito difícil, então por enquanto só quero me preocupar em ir ganhando destaque ao longo do tempo”, afirmou.

Pré-mirim do Mazzarello é campeão no Voleibol

Por Isabella Alchorne

9Na final do voleibol pré-mirim masculino, o Colégio Mazzarello venceu o Colégio Bandeirantes por 2 sets a 0. As parciais foram 21×19 e 21×14. Os meninos do Mazza, ao final do jogo, estavam tão animados que deram peixinho e várias voltas olímpicas ao redor da Quadra 2.

“O time já jogou o InterBand ano passado como pré-mirim, o que os trouxe maior experiência em algumas situações do jogo”, disse o técnico do Mazzarelo, Cláudio Lopes. Mesmo assim, o treinador não nega que o jogo foi disputado. E quando perguntamos sobre o clima de domingo, ele respondeu: “o sol atrapalha a todos, isso é um problema, porém nenhum sai prejudicado já que ambos os lados têm que enfrentá-lo.”

Confira a entrevista com o técnico, Luiz Domingos, do Bandeirantes:

Blog: O que você achou do jogo?

Luiz: O time do Mazzarello é um time já vem treinado há bastante tempo. Alguns meninos já são mais desenvolvidos, mais maduros para jogar voleibol. Nosso time é formado esse ano. Mas para mim, o jogo foi ótimo, apesar da pouca experiência que os atletas da minha equipe apresentam. Mesmo com a derrota, acredito que eles evoluíram bastante desde o início do ano e acredito que melhorarão ainda mais.

Blog: O que você acha que poderia ter ajudado o time? Pois a parcial do primeiro set foi de 21X19, ou seja, foi bastante apertado. O que o senhor acha sobre isso?

Luiz: A inexperiência gera o nervosismo. E isso trás insegurança, e, com isso, algumas ações do jogo se complicam. Saques, defesas em algumas situações, e fazer o ataque são mais difíceis com nervosismo. Esses são fatores que, para alguns inexperientes, afetam muito.

Blog: Para finalizar, faremos a mesma pergunta que fizemos para o técnico do time adversário: você acha que se não estivesse tanto sol, o time apresentaria um melhor desenvolvimento?

Luiz: Um sol na cara atrapalha um pouquinho. Mas como treinam nesse horário isso não foi um problema.

Dourado vence e leva bronze no vôlei

4Por Isabella Alchorne

A disputa de 3º lugar, na categoria juvenil masculino de vôlei, teve como vencedor o Colégio Dourado. O time ganhou de 2 sets a 0 contra o Colégio Pinheiro. As parciais foram 21×8 e 21×12.

“Faltaram vários jogadores, o que poderia ter feito o jogo ficar melhor”,  disse o Régis França, pai de Gustavo Henrique França, atleta do Pinheiro. A equipe estava desfalcada e sem atletas reservas. Isto impossibilitou que os atletas em quadra pudessem decansar.  já que havia a possibilidade de revezamento para descansar.

O técnico do Colégio Pinheiro Luiz Alberto dos Santos, por sua vez, complementa dizendo: “a categoria é juvenil, porém jogamos todo o torneio com 3 meninos do mirim (Gustavo, Matheus e Pablo)”.

Band leva o bronze do pré-mirim de futsal

Por Anna Gabriel Oliveira

bgBandeirantes e Nossa Senhora das Graças se enfrentaram neste domingo na disputa pelo 3º lugar do futsal na categoria pré-mirim masculino. O Band venceu por 7×4, num jogo com ambos os times atacando bastante e também com várias faltas.

O Band começou o jogo atacando muito. O time marcou o primeiro gol aos 50 segundos de partida e, logo em seguida, colocou uma mais uma bola na rede adversária. O Gracinha, no entanto, não desanimou e empatou o placar. Apesar do equilíbrio do jogo, o Band continuou a atacar insistentemente, mantendo a maior posse de bola. Após o intervalo, o Gracinha voltou com mais vontade, chutando muito mais ao gol. Mas isso não impediu o Band de marcar mais quatro vezes.

“Os jogadores do Gracinha eram fortes e muito agressivos”, comentou o camisa 18 do Band, Lucas Suzuki, 11 anos, contou que joga desde pequeno. Mesmo assim, Suzuki achou que a partida foi boa. Já o técnico Dutra, também do Band, considerou o jogo disputado, mas que a atuação de seu time lhe agradou.

Jogadores do Band comemoram vitória fazendo “peixinho” da seleção

Por Isabella Alchorne

O Colégio Bandeirantes venceu a final, no vôlei juvenil masculino, por 2 sets a 0, contra o time do Colégio Magno. As parciais: 22×20 e 21×9.

3

O primeiro set foi bastante disputado. O Magno chegou até a virar o jogo, porém não foi o suficiente para vencer o set. Já o segundo foi mais tranquilo. A equipe estava muito unida e, também por isso, fez com que o jogo se tornasse mais fácil. Os atletas do Band conseguiram dar várias cortadas e transformar vários saques em pontos.

No fim do jogo, os jogadores copiaram o estilo de comemoração da seleção brasileira de voleibol: deram o clássico peixinho em direção à tocida.

Villare ganha bronze no Mirim

Por Bárbara Ribeiro

A disputa pelo terceiro lugar de handebol mirim masculino entre os colégios Vilare e Móbile começou muito equilibrada e teve altos e baixos. No fim, os jogadores do Villare conquistaram o bronze, com uma vitória de 21×13.

O colégio Villare jogou com uma estratégia de bola muito rápida, já o Móbile, apelou para uma bola muito bem trabalhada, mas com lançamentos fracos.

O goleiro Nicholas Smaal, Móbile, deu um susto logo de início, após defender uma bola muito forte, acabou se chocando com um adversário e se machucando. O técnico, ao ajudar o goleiro, o incentivou a continuar, mas Nicholas alega que a sua motivação maior foi outra: ”O Villare é famoso por ter bolas boas, fortes e no canto. O meu time precisava que eu voltasse, além disso, tinha que defender pela garota que eu amo, a Larissa. Queria ser motivo de orgulho”, confessou. Mesmo com a motivação de Smaal e boas defesas, o time perdeu de 21x 13.

A técnica do Villare, Vanessa Marceli, declara que faltou pouco para concorrerem ao ouro: “Treinamos de segunda e quarta, todos juntos, sempre, e as quadras e o ar seco atrapalhou muito os jogadores. Mas mesmo assim, a maioria deles tem uma base muita boa, já jogavam no pré-mirim, e a experiência ajudou muito, foi assim que chegamos até aqui”, contou.

Arqui vence Gracinha no Hand pré-mirim

Por Anna Gabriela Oliveira e Isabela Sarno Taccolini

goleiroDuas tradicionais equipes se enfrentaram nesta sexta-feira no handebol. Arqui e Gracinha, com seus jogadores da categoria pré-mirim, mostraram seus talentos em jogo bem disputado que acabou com a vitória do Arqui por 15×11.

O jogo começou rápido e disputado. Enquanto o Gracinha não fez tantas jogadas em equipe, confiando que um contra-ataque rápido seria mais eficiente, o Arqui, por apostar mais em passes entre seus jogadores, conseguiu furar a defesa do oponente com muito mais facilidade, fazendo com que o primeiro tempo terminasse 9×3.

O intervalo foi momento de concentração, com os jogadores do Gracinha silenciosos e introspectivos. O segundo tempo iniciou-se com um gol do Graças, mas o Arqui revidou com garra, fazendo três gols seguidos e, após alguns minutos, mais três em série. O Graças conseguiu, então, quando o jogo se aproximava do seu décimo minuto, seu quinto gol, que foi seguido por um do adversário e mais dois do Graça

Um dos grandes destaques da partida foi o goleiro do Arqui, Lourenze Mariane, de 12 anos. Ele mostrou talento, apesar de só ter começado a jogar nesse ano. afirmou achar o nível de dificuldade do jogo razoável. “Houve outros mais difíceis” disse. Essa foi a terceira partida que o Arqui jogou no InterBand esse ano. De acordo com Mariane, comparada a contra o Vera Cruz e contra o Magno, foi a partida mais fácil.

Pinheiro leva bronze no handebol infantil masculino

Por Caio Dib

Caio Yudi está no primeiro ano do ensino médio e joga desde a terceira sérieHoje o colégio Pinheiro venceu o Bandeirantes no handebol infantil masculino. O jogo disputado acabou com o placar de 12×10 e rendeu o terceiro lugar ao Pinheiro.

“O time teve boa performance e ouviu minhas orientações”, disse o auxiliar-técnico da equipe vencedora, Leonardo Andrade. No outro lado, o técnico do Band, Luiz Pereira, reclamou do atraso dos atletas ao comparecerem na partida, o que prejudicou o desenvolvimento do jogo.

Ambos os times receberam penalidades que prejudicaram o desempenho na disputa. Os técnicos afirmaram que os jogadores que receberam os famosos “dois minutos” (quando o atleta comete uma falta e deve ficar dois minutos fora da partida) fizeram com que as respectivas equipes perdessem muitas oportunidades. “As saídas temporárias dos atletas fizeram com que a equipe encontrasse dificuldade para virar a partida”, comentou Pereira.

Na equipe vencedora, o destaque foi o capitão, Caio Yudi. Goleiro de handebol há seis anos e único atleta federado da equipe, Yudi defendeu muitos ataques bandeirantinos. Mas reclamou: “faltou ataque da minha equipe”.

Bandeirantes vence basquete mirim por um ponto

Por Ulysses Faria

O Bandeirantes venceu a equipe do Rainha dos Apóstolos na final do basquete mirim masculino por 21×20 e levou o título.

No primeiro tempo, a equipe do Rainha conseguiu dominar o Bandeirantes, que se encontrava taticamente desorganizado. Já no segundo, apesar do Rainha abusar no número de faltas, o Bandeirantes não aproveitou os lances livres. Em um momento de entrega do Band, o jogo foi levado para a prorrogação.

Na prorrogação houve uma superação completa da equipe do Bandeirantes, que, no último segundo, converteu um lance livre, vencendo a partida e levando o título de campeão.

Após o término, o técnico Paulo Godoi, do Bandeirantes, estava visivelmente emocionado.  Já a técnica Vânia Amaro, do Rainha, admitiu: “Faltou treinar e aproveitar as oportunidades de ataque”. E criticou a arbitragem. ”Pra eles era só lance livre e, pra gente, só periférica. Mas isso não faria diferença se tivéssemos aproveitado as chances”, finalizou.

Villare e Gracinha empatam

Por Anna Gabriela Oliveira e Isabela Sarno Taccolini

SDC14096Nessa sexta-feira, os colégios Villare e Nossa Senhora das Graças se enfrentaram na categoria futsal mirim masculino. Disputado, o jogo acabou com empate de 5×5.

O Villare começou a partida deixando claro que iria lutar pela vitória, marcando um gol no segundo minuto do jogo. A defesa e o ataque estavam fortes e bem organizados. Já o Gracinha não se abalou com os gols sofridos e mostrou jogo. O time conseguiu empatar a partida em 3×3, no primeiro tempo.

O segundo tempo começou com os dois times mostrando a mesma vontade do início da partida. O Gracinha prevaleceu no inicio, fazendo seu quarto gol. Nos últimos segundos de jogo, o goleiro do Gracinha fez uma boa defesa, impedindo e vitória do Villare e fazendo com que o jogo terminasse num empate.